7 princípios básicos do marketing digital para reconsiderar durante a crise 

7 princípios básicos do marketing digital para reconsiderar durante a crise 

Diversas medidas foram adotadas e estratégias reformuladas nas últimas semanas, tendo em vista a crise que a Covid-19 trouxe a diversos negócios e economia de maneira geral.

Todavia, é preciso ter em mente que, nesse momento, mais que criativas e revolucionárias ideias, seu negócio precisa garantir que o essencial esteja em ordem. 

Essa é a única maneira de assegurar que ele possa manter-se razoavelmente estável e pronto para sobreviver a essa fase de mudanças e ainda viabilizar a adição de novas estratégias e métodos de venda para garantir maior solidez.

Sem os aspectos fundamentais do Marketing Digital, que devem ser o ponto de partida para o planejamento de qualquer estratégia, fica difícil chegar a resultados satisfatórios, o que pode gerar estagnação ou até mesmo a queda de seus indicadores, mesmo em momentos “estáveis” da economia.

Por isso, nesse momento é fundamental se perguntar: 

“Será que minha estratégia contempla as práticas mais simples do Marketing Digital?”

No post de hoje, trouxemos 7 tópicos do Marketing Digital que devem ser revisados por você e colocados em prática o quanto antes possível, caso alguns deles esteja falhando ou mesmo em inatividade. 

Para conhecer cada um desses importantes aspectos, acompanhe nossa lista a seguir:

1. Acompanhamento periódico de resultados

Mesmo que suas estratégias estejam apresentando-se estabilizadas a um certo tempo, não justifica que haja uma diminuição na frequência na realização de monitoramentos e análises das métricas das campanhas que estejam rodando.

Um erro muito grande e bastante frequente que empresas cometem é acreditar que nada fará os resultados despencaram, apenas porque eles demonstram níveis constantes por um “bom” tempo.

Diversos fatores podem impactar consideravelmente seus números, mesmo que sua equipe e ações de Marketing estejam trabalhando a todo afinco.

Um grande exemplo disso é o momento atual de nossa economia e as mudanças que a pandemia do Coronavírus trouxe.

Além disso, é importante lembrar que algoritmos do Google, por exemplo, estão mudando constantemente, assim como os de redes sociais.

Essas mudanças, mesmo que pequenas, geram impactos grandes e, como consequência, podem diminuir o desempenho de suas campanhas digitais.

Outro fator que torna o monitoramento constante algo tão importante é a queda natural de engajamento, o que demanda uma análise minuciosa.  

Acompanhar a performance de todos esses aspectos deve ser uma constante, pois simples descuidos podem gerar erros graves, que seriam facilmente evitados com a adoção dessas elementares práticas.

2. Definição da identidade visual da sua marca

Não é de hoje que batemos na tecla da importância de definir e reafirmar a identidade de sua marca no mercado constantemente, já que é a partir do que ela é que o público-alvo é atraído e engajado.

De outro modo, como seria possível criar uma base sólida e continuar gerando oportunidades?

Tão relevante quanto ter uma identidade inicial é dar continuidade a ela de forma fiel.

Hoje, é muito comum com o crescimento demasiado de novos negócios observarmos a falha nesse quesito. 

Muitas até possuem uma identidade em suas marcas, mas logo se desprendem dela. Isso é um dos fatores de grande divisão entre negócios que não vingaram ou ainda terão retardo no seu crescimento.

Por mais que pareça um erro simples de ser evitado, há muitas marcas fugindo do que elas são, inclusive grandes, para poder se adequar momentaneamente a pautas populares, que modificam de tempos em tempos.

É o caso de marcas que nunca deram ênfase no tema sustentabilidade e agora tentarem se enquadrar a isso momentaneamente. 

Sem um planejamento adequado e preocupação fundamentada com esse ou outros temas, essas empresas enfrentarão problemas ao abraçar causas, sem conseguir aplicá-las de forma concreta em sua produção.

Desvios de identidade tendem a afastar consumidores, tanto os iniciais, que já se identificavam com a marca, quanto os engajados à causa específica, que está momentaneamente em alta, pois dificilmente se identificarão com os conteúdos e estratégias abordadas.

É claro que é possível realizar um reposicionamento em diversas oportunidades, todavia, isso requer um processo mais complexo.

Fugir da identidade muito provavelmente apenas afastará o público já conquistado até então por sua marca e diminuirá a efetividade das suas estratégias de marketing.

3. Definição periódica da persona

No início de uma estratégia com um time de marketing, um dos primeiros aspectos a ser analisado é sua persona, que acontece geralmente no início de um negócio ou ainda numa renovação de fase do mesmo. 

O que nem todos se recordam é que essa definição precisa estar constantemente atualizada.

Pense você, há quanto tempo a persona que sua estratégia digital está direcionada não é reavaliada?

Por mais que não seja um aspecto de frequente mudança, é importante, sempre que for possível tornar esse perfil ainda mais afunilado, para que suas ações sejam bem direcionadas, para gerar melhores resultados.

Tendo isso mente, procure realizar novas pesquisas e estudos sobre as preferências, hábitos de consumo, práticas e dados demográficos do seu público.

Mudanças significativas podem ocorrer a todo o momento, por isso é tão importante saber detectar quando os seus resultados estagnaram ou caíram devido a mudanças no comportamento dos seus consumidores-alvo.

4. SEO (on page)

O conceito de SEO trata-se de um dos aspectos fundamentais do Marketing Digital.

Afinal, a otimização de conteúdo deve ser devidamente adequada para figurar nos primeiros resultados do Google.

Adentrando esse tema, encontramos o SEO on page, um trabalho focado principalmente em páginas, como seu próprio nome já diz, com intuito de na busca de torná-las capazes assegurar essa impressão ao Google.

É um trabalho minucioso e extremamente necessário, repleto de elementos que fazem toda diferença no rankeamento das página em questão.

Entre algumas práticas fundamentais de SEO on Page, estão:

  • a otimização dos títulos dos conteúdos, levando em conta os aspectos positivos nos resultados (Title Tag), além de chamadas criativas e atraentes para o público e que indique claramente o tema abordado;
  • a aplicação da palavra-chave em pontos estratégicos do textos, tais como: títulos (H1), subtítulos, além de seu uso ao longo do conteúdo de forma natural e sem exageros;
  • conteúdo de qualidade capaz de responder às dúvidas do leitor sobre a pauta abordada;
  • uso de Meta Description;
  • velocidade de carregamento das páginas;
  • responsividade.

Segundo uma pesquisa realizada pelo IBGE, em dezembro de 2018 e divulgada no ano passado, no Brasil, cerca de 97% dos usuários da internet navegam utilizando smartphones. 

A partir desse levantamento, torna-se indispensável a otimização de sites para dispositivos móveis, tornando esse um dos aspectos fundamentais do Marketing Digital atualmente.

Do contrário, a rejeição tende a ser imediata e, quando isso não ocorre, ocasiona um impacto bastante negativo no engajamento do público.

Tendo isso em mente é importante que toda construção de página seja realizada a partir do conceito de responsividade.

Saiba mais sobre ele em nosso post a seguir!

Vendas internas: 3 ferramentas para adotar e ter sucesso com elas

Vendas internas: 3 ferramentas para adotar e ter sucesso com elas

Por meio das ferramentas certas é possível ter um aumento significativo de suas vendas internas, sigam elas esse modelo de negócio desde o princípio ou apenas sendo um adendo às vendas externas.

Nos dias de hoje, tornou-se praticamente impossível adotar uma estratégia efetiva de vendas internas sem o uso de tecnologia.

Os recursos disponíveis por meio dela abrem diversas possibilidades em inúmeros canais, além de fortalecer a confiança e proximidade que os clientes podem ter com sua marca.

Um dinâmico atendimento possibilita ainda mais interação e maior entendimento sobre o ciclo de vendas no qual o cliente se encontra.

A seguir, conheça algumas das principais ferramentas para vendas internas e que poderão atribuir novos e melhores resultados à sua empresa.

Acompanhe!

Plataformas CRM

Elas são peças-chave para a organização e controle de uma empresa.

As plataformas CRM são indispensáveis hoje em dia, pois registram os dados fundamentais de prospects e clientes e mantém um histórico detalhado com informações importantes de cada um desses indivíduos.

Também auxiliam na definição de sua posição em funis de conversão, por meio da visualização de propostas que já foram realizadas com cada cliente.

Se você deseja saber informações de compras de um cliente, a fim de contatá-lo para uma nova proposta ou reaproximação, basta acessar o CRM, que lhe mostrará todas essas informações!

Com isso, você pode retomar contatos com prospects que não se tornaram clientes, acompanhar seus clientes fiéis além de oferecer benefícios como descontos e vantagens, por exemplo.

Através da plataforma poderá, ainda, estudar clientes assíduos que em algum momento viraram inativos, para diagnosticar esse contato e fazer com que ele volte a consumir seu produto e/ou serviço.

ferramentas para aumentar vendas online. Foto/Reprodução: Visual Generation - Adobe 

São inúmeras as vantagens que essa ferramenta tem a oferecer ao seu negócio e, por isso, deve ser uma das estudadas e ainda implementadas por sua empresa!  

Ferramentas de automação de marketing

Não é de hoje que trazemos a importância e diferença que as ferramentas de automação de marketing podem trazer para empresas.

Elas são essenciais no planejamento de estratégias eficientes, geram ofertas, captam leads, automatizam o disparo de e-mails marketing, entre muitas outras práticas fundamentais para a continuidade e crescimento de suas vendas internas.

Hoje, há uma ampla oferta de ferramentas de automação de marketing no mercado e que poderão agregar muito a sua empresa e resultados.

Se quiser saber mais sobre a nossa opção favorita, como ela funciona e como fazer para implementá-la em seu negócio, basta clicar aqui e tirar suas dúvidas conosco.

Por último, mas não menos importante, softwares de chamada de vídeo

As chamadas de vídeo são, sem dúvida nenhuma, uma das principais ferramentas quando o assunto é a aproximação de prospects e/ou clientes. Primordialmente na substituição de reuniões e encontros pessoais.

Elas possibilitam que você se comunique com os seus clientes de maneira mais pessoal, sem que seja necessário se deslocar para chegar até eles, uma excelente alternativa, por exemplo, para empresas que possuem clientes em diversas cidades.

Poder ver os clientes e contatá-los em tempo real, faz com que você gere maior credibilidade e segurança e, por isso, esse modelo deve estar entre seus principais canais de comunicação.

Gostou das dicas?

 Compartilhe conosco quais dessas ferramentas você já conhece e utilizou e como foi ou está sendo sua experiência com ela!

Veja também: 

+ Precisa de mais potência em seu Marketing Digital? Conheça algumas apostas para esse ano!

+ Solução estratégica em meio a uma pandemia: Saiba que atitudes tomar pós-crise para retomar seus resultados o mais breve possível

 

Vendas externas para internas: como redirecionar com eficiência?

Vendas externas para internas: como redirecionar com eficiência?

Com as mudanças que ocorreram nos últimos dias, umas das estratégias mais pensadas e colocadas em prática foi a mudança no modelo de vendas externas para internas. 

Ou ainda, a opção foi intensificada para marcas que já a contemplavam.

Vendas internas são uma saída natural para adaptar práticas de vendas externas em períodos de distanciamento social. 

Em meio a crises como a que estamos enfrentando, é essencial buscar pelas adequações oportunas, afinal, quem consegue realizar uma boa transição, pode sobreviver e ainda seguir alcançando bons resultados de acordo com o que é cabível.

As estratégias de vendas adotadas mundialmente nos dias de hoje, basicamente, são divididas entre o externo e as vendas internas.

É irrefutável que o segundo modelo possui custos muito menores, pelo fato de ser remoto.

Contudo, ainda não é o suficiente para que empresas deixem a prática externa, principalmente por ela ser essencial e muito popular em diversos mercados.

Diante disso, o que é recomendado e possível fazer em situações de distanciamento social, como o que estamos vivendo?

Em momentos como esse, a melhor opção é converter a estratégia para as práticas internas, mesmo que os modelos apresentem diferenças delicadas na prospecção e conversão de clientes.

Acredite! É possível adaptar seu negócio.

No post de hoje, lhe apresentamos oportunidades de realizar uma transição eficiente do seu modelo de vendas externas-internas.

Acompanhe a leitura e entenda como!

Mas o que são vendas internas?

Partindo do princípio, você necessita saber o que são venda internas. Correto?

Vendas internas são processos de prospecção e negociações realizadas por equipes ou profissionais de venda, conduzidas internamente, sem que seja realizada uma visita ou contato presencial aos clientes em perspectiva.

Dessa maneira, toda a apresentação de produtos, planos ou serviços são primordialmente realizados de forma online, por e-mail, vídeo chamada ou por canais como chamas por telefone e outros.

Quais são as principais diferenças entre os modelos interno e externo de vendas?

Por mais que à primeira vista suas estratégias pareçam óbvias, é essencial ter mente que ambos os modelos de venda possuem diferenças fundamentais e que são parte da construção de cada uma. 

Por isso, é preciso saber como tais adaptações de uma prática para a outra se comportam e quais serão os impactos gerados.

Ao serem calculados previamente é possível que esses impactos sejam minimizados ao máximo possível.

Atendimentos presenciais

As vendas externas tratam-se, basicamente, de encontros pessoais, que têm por objetivo gerar informações ao interessados de forma segura e precisa. 

Essa prática é a base que sustenta a estratégia. Por meio dela oportunidades são criadas e podem ser concluídas de maneira concreta naquele momento pertinente.

Modelo de vendas externo para interno: como redirecionar de forma eficiente? Foto: Flamingo Images - Adobe.

As vendas internas não contemplam essa opção. É essencial ter em mente que nem todo cliente estará pronto para fechar um grande negócio sem ao menos ter realizado uma reunião ou encontro pessoal.  

Com isso em mente, é preciso trabalhar a estratégia-chave dessa transição, que é:

Transmitir segurança e credibilidade ao cliente em prospecção, mesmo que não haja um contato presencial.

Canais de comunicação

Os canais que aproximam esse contato são elementos cruciais na construção de ambas as estratégias de vendas.

Nas vendas externas, por exemplo, eles são utilizados para a realização dos contatos iniciais, confirmação de reuniões marcadas e trocas de informações.

Também são empregados em qualquer momento em que houver necessidade entre essas atividades e encontros.

Já quando se trata das vendas internas, dependemos desses canais. Eles são utilizados amplamente desde os primeiros contatos, durante as negociações e até mesmo no pós-venda e alimentação de leads.

Quando o cliente já está disposto a conduzir uma negociação remota, que é o caso das vendas internas, fica mais fácil adaptar os meios de comunicação mais convenientes para ambos. 

Isso faz com que o alinhamentos dessas negociações seja algo natural.

Imagine que você é do tipo de pessoa que prefere ir à loja ver as opções que possui, contatar o vendedor naquele momento, tirar dúvidas com ele, analisar se as informações transmitidas lhe oferecem segurança ou não, testar o produto e repetir essa ação até encontrar um que atenda suas expectativas.

Ao necessitar atender o cliente de forma interna é imprescindível estudar a forma de como conduzir uma negociação de forma adequada e que gere confiança.

Essas estratégias devem ser efetivas, mesmo que o consumidor não possa testar ou ver o produto pessoalmente antes de adquiri-lo.

Por outro lado, quando você procura um objeto para aquisição na internet, é atendido de forma remota e quando necessário. 

Geralmente lê as informações sobre o produto desejado e efetua a compra para receber em casa.

Como realizar a transição entre um modelo e outro?

Para que isso seja realizado de maneira efetiva é necessário alterar as estratégias e possuir as ferramentas certas.

Com isso em mãos, é possível adaptar a metodologia de atendimento e trabalho de forma geral e, assim, assegurar a confiança dos seus clientes e prospects.

Acompanhe a seguir as práticas que devem ser alteradas e como alinhá-las para que suas vendas internas tenham o menor impacto possível:

1.  Adapte suas práticas de contato ao cenário atual

Tendo em vista o momento atual de distanciamento social, a transição de vendas externas para internas torna-se a melhor ou única opção. A aceitação pela maior parte dos clientes é natural, na maioria das vezes.

Com isso em mente, clientes e interessados já sabem ou ao menos imaginam, que as negociações não podem parar e necessitam ser adequadas aos recursos disponíveis no momento.

Em venda externas, por exemplo, muitas vezes, o contato começa remotamente e evolui para as reuniões presenciais. Nas vendas internas, esse segundo momento não acontece e, por conta disso, é imprescindível saber como será investido e realocado o tempo e os esforços dos profissionais de vendas.

Reuniões online e ligações constantes têm sido uma das medidas adotadas por diversas empresas. Mas, quando falamos em prospecção, estratégias inbound podem ser muito mais efetivas e gerar maior produtividade.

Dessa forma, os contatos diretos podem ser direcionados aos prospects que estão mais próximos ao funil de vendas, assim como os que já são clientes.

Nesse caso, e-mail e ligações, além de recomendados, são bastante eficientes.

2 . Reveja seu método de abordagem e gerenciamento de clientes em potencial 

Diferente do que acontece em uma reunião pessoal, em atendimentos internos, fica mais difícil entender o nível de interesse do cliente em prospecção e o quanto está ou não propenso a fechar um negócio.

Ao mesmo tempo que essa opção tem um grande alcance, os recursos de venda geram um feeling menor.

Mas não é preciso desanimar, apenas saber como adaptar sua estratégia de abordagem!

Tentando diminuir ao máximo o ciclo de vendas, nesse momento sua empresa precisa induzir esse cliente a tomar decisões rápidas, afinal à distância, ele tem mais tempo para tomar decisões a hora que bem entender, o que pode gerar um prolongamento no fechamento de um negócio.

Essa mudança pode ser baseada no objetivo que você possui de ter mais dinâmica com seus prospectados. 

Isso pode ser realizado de várias formas, como ofertas mais agressivas direcionadas por e-mail, chamadas de vídeo, clareza no repasse de informações, custos e benefícios de produtos e/ou serviços, além de outras práticas.

O ideal é que você gere o máximo de informações possíveis em cada contato realizado, lembrando sempre de impor a cada um deles a sensação de urgência na tomada de uma decisão. 

3. Mantenha o foco nas perspectivas positivas 

Alterações significativas na economia, como é a do atual cenário, tendem a gerar incerteza nos clientes. Isso ocorre em praticamente todos os mercados e não é uma novidade. 

Tendo isso em mente, investimentos podem parecer gastos extras desnecessários e possíveis prejuízos futuros.

Mesmo que pareça desafiador fechar novos negócios em fases como essa, o esforço do seu pessoal de vendas internas deve estar sempre focado nas perspectivas positivas. 

Nem sempre será simples propor essa visão, no entanto, é crucial exercer um papel educador a todos os clientes e prospects.

Por mais que isso exija um esforço extra da sua equipe, é importante que todos estejam cientes de que se trata de uma fase passageira e que necessita de adaptações rápidas, considerando todas as variáveis. 

Ao pensar nisso e colocar em prática, se tornará natural trabalhar a mesma abordagem com os clientes e ter uma melhor aceitação da parte deles também.  

É claro que, assim como no atendimento convencional, nem todos os clientes encontram-se no final do ciclo de vendas, ou seja, prontos para fechar um negócio de imediato, mas na maioria dos casos, o direcionamento tende a ser a estratégia mais recomendada. 

E quais são as melhores ferramentas a serem empregadas para facilitar esse trabalho?

Confira as indicações em nosso post a seguir! 

Reuniões online: Se prepare para elas de forma adequada

Reuniões online: Se prepare para elas de forma adequada

Em tempos de home office, adaptações são essenciais para manter o ritmo e padrão de trabalho em seu mesmo nível de eficiência. Veja dicas de especialistas para saber que pontos verificar antes de dar início a reuniões online.

Diante das recomendações do Ministério da Saúde, para que a saída de casa seja reduzida ao mínimo, é bastante provável que você tenha se deparado com a oportunidade de realizar reuniões de trabalho por videochamada.

Elas tendem a melhorar a produtividade, fazem com que os funcionários sintam-se engajados constantemente nas metas da instituição e fortalecem o relacionamento das pessoas.

Confira abaixo algumas dicas de dois importantes especialistas: Antony Simon, diretor de marketing da BANC e Jonathan Grant, CEO da Babl Cloud, de como se preparar adequadamente e de maneira mais proveitosa para uma reunião online.

1. Escolha o local ideal da sua casa para trabalhar e realizar as reuniões online

A escolha do ambiente para trabalhar em sua casa não fará apenas diferença nos momentos de reunião, mas de toda a sua produtividade na realização das atividades em geral. Por isso, escolha um local silencioso e tranquilo.

Evite ambientes nos quais as pessoas transitarão atrás de você e que possuam distrações recorrentes.

Esse é o primeiro passo para uma reunião online perfeita!

2. Organize-se com antecedência!

 É humano que deixemos tudo para última hora e acreditemos que dará certo. Mas, você não precisa seguir esse curso.

Segundo os especialistas, os detalhes apontados devem ser conferidos 10 minutos antes de a videochamada começar, para você não se atrapalhar e não precisar apressar-se.

Dessa forma, a reunião online será um momento proveitoso do começo ao fim.

3. Não esqueça da iluminação!

Antes de iniciar a sua reunião por chamada de vídeo, certifique-se de como está a luz no ambiente escolhido. 

Verificar se a imagem da câmera está nítida, também é importante.

Todos sabem que uma boa luz e um bom posicionamento da câmera podem, definitivamente, aumentar a qualidade da sua chamada, não é mesmo?

4. Atente-se à etiqueta de vestimenta

De acordo com Antony Simon, “não é necessário se vestir de maneira formal para a reunião — mas também não é preciso estar de pijamas. Estar apresentável é o suficiente. Você pode estar confortável, mas vista-se para um dia de trabalho comum.” 

Fazendo isso, você transmitirá confiança e ordem, além de contribuir consigo mesmo para que se sinta realmente como se estivesse em um dia normal de trabalho, o que realmente deve ser.

Essa prática tende a proporcionar mais energia para a realização das atividades do dia a dia a qual sua função requer.   

 Gostou das dicas?

Ao segui-las, além de ter um rendimento muito melhor em suas tarefas rotineiras de trabalho, você conseguirá ser mais organizado, ter mais otimismo e, naturalmente, passará tudo isso aos seus gestores e colegas de trabalho, que confiarão em você para ajudá-los no que for necessário.

 Dessa forma, todos tem a ganhar!

 Você tem colegas, familiares e amigos trabalhando em casa também?

 Então não deixe de compartilhar essas importantes dicas com eles!

Veja também: 

+SEO: Saiba o que fará sua empresa ranquear bem esse ano 

+Home office: Saiba que práticas adotar para ter sucesso nesse formato de trabalho 

 +Empreende Brazil Conference: Fique por dentro do maior evento de empreendedorismo do país 

 

Whatsapp