Conteúdo interativo: Melhore seu engajamento com a estratégia  

Conteúdo interativo: Melhore seu engajamento com a estratégia  

Quando falamos nas tendências de marketing e apostas inteligentes para os próximos anos, podemos citar, sem dúvida, o conteúdo interativo, tendo em mente o desejo cada vez maior de clientes de serem participantes nas ações de suas marcas prediletas. Saiba mais:

Atração, retenção de clientes, manutenção do relacionamento, engajamento e conversa com as novas formas de consumir. Essas são apenas algumas das vantagens em adotar esse tipo de conteúdo em sua estratégia.

Quer entender como ela funciona e como empregá-la em seu plano de ações, para oferecer interessantes experiências aos usuários? 

Então acompanhe nossas indicações a seguir! 

Do que se trata o conteúdo interativo?

Trata-se de um conteúdo dinâmico que estimula a participação de sua audiência.

É possível que espectadores de sua marca realizem contribuições em seus tópicos.

Eles podem compreender diversas ações, entre elas: 

  • Responder;
  •  Clicar e tomar decisões de maneira diretamente participativa da jornada de compras.

Com isso, o usuário fica muito mais interessado em seu produto ou serviço oferecido e, além de tudo, sente-se mais valorizado.

Fora destacar-se ante à sua concorrência e aumentar o engajamento de suas páginas, ao incluir o conteúdo interativo, sua empresa poderá contar ainda com novas oportunidades de captar valiosos dados que contribuirão com o aumento de resultados e otimização de suas estratégias de marketing.

Estratégias que compreendem o conteúdo interativo

Antes de conhecer as dicas que apresentaremos e sair criando conteúdos baseados nelas, é primordial que você conheça e tenha bem definida sua persona, quais são suas dores e também necessidades a serem sanadas para que, assim, cada uma das estratégias desenvolvidas possa, de fato, chegar ao público desejado e surtir um efeito positivo.

Conheça os principais formatos para aplicar a estratégia em sua organização:

Transmissão ao vivo

Elas estão cada vez mais populares e não é à toa!

Principalmente pelo período de mudanças que as pessoas enfrentaram nos últimos meses, ferramentas online de interação foram bastante eficientes em diversas formas.

Mais que suprir a necessidade de comunicar-se com outras pessoas, a ferramenta gera proximidade e traz variados conteúdos muito relevantes para a vida profissional, social e emocional das pessoas.

Além de serem muito simples de reproduzir, as lives, por exemplificação, contribuem significativamente para aumentar o alcance de pessoas para sua marca.

Posts de múltipla escolha em redes sociais

Trata-se de uma das formas mais simples de gerar interação e, por isso, é uma das mais adotadas. 

Mesmo perfis de pessoa física utilizam exponencialmente a ferramenta para angariar engajamento.

Mesmo sendo uma ferramenta simples, empresas de maior porte podem e devem utilizá-la também! 

Empregue-a fazendo postagens de múltipla escolha nas redes sociais.

Para não exagerar no uso ou fazê-lo com intervalos muito grandes, consulte a empresa responsável pelo marketing de sua organização e obtenha a instrução sobre o melhor intervalo de utilização das mesmas.

Conteúdo interativo na prática

Na prática, é possível, no stories do Instagram, fazer perguntas aos seus seguidores sobre assuntos que desejam conhecer mais, produtos que querem ver ou preferem, e assim por diante.

Essa também é uma excelente, simples e rápida maneira de mostrar e saber o que seu público prefere dentro do que você anuncia/distribui.

Vídeos interativos

Vídeos interativos

“Você Radical” (You vs. Wild) com Bear Grylls, da Netflix. 

Os vídeos interativos admitem a participação de espectadores da narrativa, podendo esses tomar decisões por meio de ações ou cliques em páginas de destinos.

Baseia-se em uma estratégia antiga, mas que tem um efeito muito interessante, principalmente nos dias de hoje, tanto para o titular do vídeo como para os participantes.

Para quem não tinha o conhecimento, o YouTube, inclusive, já permite a integração de cartões de interação.

Quer um exemplo prático disso?

Na Netflix já existem conteúdos em que o público pode escolher as ações tomadas pelo (s) protagonista (s) do mesmo.

Dois grandes exemplares desse modelo de conteúdo interativo são:

  •  You vs. Wild (como na imagem demonstrada acima);
  •  Black Mirror.  

De acordo com a empresa, o novo modelo de programa trás um grande diferencial ao público, tendo em mente que o mercado de streamings está cada vez mais concorrido. 

Redd Hasting (CEO da Netflix) acredita que a interação entre o público e as séries disponibilizadas na plataforma com esses recursos deve crescer e ser um nicho cada vez mais explorado em lançamentos futuros da companhia.

Conceitos semelhantes, já puderam ser vistos inclusive em canais de tv aberta anteriormente. 

Você decide - programa de tv interativo

Com início em 1992, por exemplificação, o programa intitulado ‘Você Decide’ no ar até 2000, permitia a interação dos espectadores. 

E-books, mapas e infográficos interativos

Quando falamos em materiais ricos, também conhecidos por infográficos, e-books e outros que reservam diversos dados, imagens e informações relevantes em um único conteúdo, já trazemos uma opção bastante engajante na estratégia de um negócio. Entretanto, é possível aproveitar ainda mais esses ao seu favor, tornando-os mais envolventes para seus espectadores, que é o que acontece quando esses materiais contam com ações interativas. 

Entre essas podemos citar opções como:

  • Calculadoras (que ajudam a mostrar ao consumidor como o seu produto pode ajudá-lo a poupar recursos);
  • Revelar dados de acordo com a movimentação do cursor do mouse;
  • Revelar dados conforme a interação do usuário no conteúdo;
  • Utilizar efeitos de zoom em imagens;
  • Adicionar quizzes;
  • Disponibilizar questionários interessantes, entre outros. 

Testes, quizzes e questionários, por sua vez, são bastante populares e ainda possuem um enorme potencial de engajamento. 

Quer um exemplo?

Vide, exemplificando, o Buzzfeed que disponibiliza testes que ficaram bastante conhecidos. 

Esses, por sua vez, mais que entreter, ainda apresentam o benefício da coleta de dados relevantes sobre os seus clientes que, assim como outras opções já citadas, também poderão ajudá-lo a aprimorar suas estratégias de marketing.

Gostou dessas dicas?

Que estratégias das citadas você já faz uso e pôde observar um crescimento significativo de sua audiência ou resultados alcançados?

Compartilhe conosco nos comentários!

Tem o desejo de começar a produzir conteúdo interativo e não sabe por onde? 

Algumas ferramentas já disponibilizadas no mercado podem lhe ajudar com isso e falaremos sobre elas em nosso próximo post! 

Ficou com alguma dúvida sobre a adoção do opcional para sua marca? 

Fale conosco! 

Inbound e Mídia Paga: Saiba como funciona e a importância para o seu negócio!

Marketing de conteúdo e funil de vendas: Conheça a relevância da relação!

Inbound e Mídia Paga: Saiba como funciona e a importância para o seu negócio!

Inbound e Mídia Paga: Saiba como funciona e a importância para o seu negócio!

Muito fala-se sobre o Inbound Marketing e, navegando pela internet, podemos encontrar uma série de definições e explicações a respeito.
Hoje esclareceremos o termo e traremos a sua importância, segundo a nossa ótica.

Acompanhe!

Em síntese, trata-se de um conjunto de estratégias e táticas de marketing digital elaboradas com o objetivo de oferecer resultados por meio de um conteúdo interessante para o seu cliente ou usuário, não gerando mais interrupções e sim interação através de um conteúdo relevante que ele mesmo (o cliente) esteja em busca ou que, de alguma forma, seja detectada a sua necessidade.

Para isso, temos diferentes “packs” dependendo do perfil de cada cliente e da relação investimento x resultados.

Como cada um dos nossos parceiros possui objetivos e segmentos diferentes de negócio, procuramos encaixar cada um no estilo que melhor se adéqua a essa relação. Essas ações, para serem efetivas, também demandam equipe especializada, monitoramento constante e além disso, estudo contínuo sobre as novidades e tendências de cada mercado.

Em resumo, as explicações dadas na teoria mudam de cenário quando partimos para a prática.

Isso significa que não é possível realizar um trabalho bem feito de inbound ou qualquer outra estratégia de marketing sem planejamento ou sozinho, sem se atualizar e estar em contato direto com as últimas tendências e alterações desse mundo tão dinâmico em que se transformou a propaganda e as mídias digitais.

Na busca por resultados e de uma relação mais próxima com os consumidores, utilizamos  recursos como:

  • E-mail marketing;
  • CRM (Gestão de Relacionamento com o Cliente);
  • Mídias pagas (Facebook Ads, Google Ads), entre outros.

Além disso, procuramos ainda atrair o cliente por meio de conteúdo segmentado (Blogs), Social Media ou SEO e buscamos converter o mesmo através de Call to Action ou Landing Pages.

Todo esse esforço em prol de alguns objetivos.

Sendo eles:

  • Gerar vendas;
  • Criar afinidade com a marca ou conquistar esse consumidor.

Tudo alinhado com os objetivos de cada cliente e o que é definido como “lead” para cada campanha específica.

Funcionamento do Inbound Marketing

Inicialmente é essencial atrair novos clientes para o seu site. 

Para isso, é preciso utilizar blogs e sites referenciais, auxiliando o usuário a lhe encontrar ao entrar em buscadores, como o Google, por exemplo.

Um meio muito eficiente de atrair esses visitantes é fazendo o uso das redes sociais, já que, por meio dessas, as pessoas buscam se aproximar das marcas e ter uma relação mais pessoal com elas.

Feito isso, é preciso converter!

Nessa etapa, o seu visitante ou usuário se transforma em um “lead” e, se esse for bem informado e conquistado, posteriormente pode se tornar um cliente.

Entenda o Lead

O “Lead” é caracterizado ao se oferecer um conteúdo em troca de algum contato com essa pessoa. 

A exemplo disso, podemos citar os e-books, em que o visitante se cadastra, deixa o seu e-mail entre outras informações e tem acesso a um conteúdo específico disponibilizado por sua empresa.

Seguindo o fluxo do Inbound, é preciso se aproximar do seu possível cliente, entendendo seus anseios, necessidades e objetivos. O importante nesse ponto, deve ser sempre manter um bom relacionamento, pesquisando e tentando oferecer seu produto ou serviço com algum diferencial, fazendo com que você se destaque frente à concorrência.

Mídias Pagas

Investir é essencial!

A mídia paga é quando realizamos uma série de estratégias de exposição de marca em troca de pagamento.

Investe-se para que a empresa ou negócio tenha maior visibilidade. 

A regra é básica, investe-se em Facebook Ads ou Google Ads, a citar como exemplo, a fim de que a empresa ou marca seja vista e reconhecida. Aumentando o contato das pessoas com a sua marca, a tendência é observar esse crescimento também nas conversões, desde que as estratégias elaboradas estejam adequadas ao seu negócio e público.

Uma grande vantagem nas mídias digitais é que podemos segmentar o público, seja por região, idade, poder aquisitivo ou também preferências. 

Isso permite a você estar mais próximo ao seu consumidor potencial.  

Tendo isso em vista, nossa dica é combinar a sua publicidade com conteúdo interessante, estudando os melhores canais de divulgação e, por conseguinte, despertando o interesse de seu cliente.

Ficou com alguma dúvida?

Deixe uma mensagem ou entre em contato com a nossa equipe, teremos o maior prazer em esclarecer!

Veja também: 

Empreendedorismo online: 6 dicas para começar acertando!

Marketing de conteúdo e funil de vendas: Conheça a relevância da relação!

Gestão de tempo: Conheça sua importância e dicas de como fazê-lo em seu ofício

 

Muitos leads e pouca conversão? Saiba porque isso ocorre e como reverter essa realidade

Muitos leads e pouca conversão? Saiba porque isso ocorre e como reverter essa realidade

A geração de muitos leads permeia um dos principais objetivos e desejos a serem atingidos quando falamos em estratégias de marketing. No entanto, mesmo quando alcançado bons resultados nesse quesito, é questionado o porquê não conseguir convertê-los. Um problema mais comum que se pode imaginar. E é sobre reverter isso que falaremos hoje. Acompanhe!

Sabe quando você tem acesso a inúmeros leads e dados valiosos, mas não consegue convertê-los?

Quando isso acontece, alguns fatores devem ser analisados, sendo alguns deles:

Primeiro: Como esses leads estão sendo tratados;

Segundo: Como os dados obtidos têm sido trabalhados.

Além de se obter leads qualificados, é essencial perguntar-se se os mesmos estão sendo atendidos de maneira adequada.

Se você tem se deparado com o insucesso, muito provavelmente está com falhas em seu processo. Sobre isso, indicamos analisar:

1- A entrega de leads

Primeiramente, é essencial garantir que a entrega de leads está sendo feita da maneira desejada. 

O que isso significa?

Que os dados estão de fato chegando ao seu Pipedrive ( uma plataforma CRM criada para simplificar a gestão de vendas de empresas em desenvolvimento)

Em um segundo momento, analise como o contato com esse cliente em potencial está sendo feito.

É imprescindível nesse passo alinhar o método de abertura da conversa e baseá-la no mesmo nível de interação apresentado pelo lead. 

Isso induz que um relacionamento deve ser constituído com esse cliente, envolvendo seu time de marketing e de vendas de maneira conjunta.

De nada adianta, por exemplo, contar com uma excelente estratégia para atrair os leds e obter informações dos mesmo se, na ponta, o atendimento de seu pessoal não for adequado quando entrado em contato para mais informações e oferta de promoções e serviços realizados por sua empresa.

2- A linguagem utilizada por sua equipe de vendas

Como já dissemos, adequar a linguagem dos profissionais de vendas é essencial para a efetividade do lead, bem como a manutenção do relacionamento de forma contínua com esse cliente em perspectiva.

Muitas vezes, por se deparar com uma extensa base de dados, não ter obtido o treinamento adequado ou ainda por falta de motivação, o time de vendas dentro de uma organização pode criar um discurso automático e muito pouco interessante ao lead.

Isso frequentemente acaba por esses profissionais não conseguirem, de fato, entender a dor e necessidade desse comprador em potencial.

Uma postura que interfere significamente na geração de efetivos resultados.

É interessante desenvolver uma conexão personalizada e atenta ao lead

Se houverem dúvidas enquanto a capacidade de efetivação desses contatos, por meio do time de marketing da sua organização ou agência contratada para fazê-lo é possível obter diretrizes do que pode ser melhorado nesse atendimento.

Nesse caso, pode ser informado a esses profissionais a metodologia utilizada ou ainda uma gravação desses contatos pode ser ouvida por esses para que seja realizado um diagnóstico mais preciso.

Dessa maneira, possíveis falhas poderão ser corrigidas, permitindo assim, um processo mais assertivo em todas as suas fases, para que haja de fato a conversão de grande parte dos leads obtidos.

3- A adoção do uso de um software de CRM de vendas

Fora adaptar seus processos de estratégia e vendas para alcançar melhorias, direcionando seus leads ao fundo do funil de vendas, é muito importante organizar as informações adquiridas com um software de CRM.

Com uma ferramenta apropriada, é possível obter mais clareza para toda a organização e, além de tudo, contar com a visualização da efetividade e desenvolvimento das informações disponibilizadas.

4- Como são tratadas as objeções no processo

Ao estarmos devidamente alinhados às ideias e propósitos de nossos clientes, menores serão as chances de surgirem inúmeras objeções no decorrer do projeto.

Preparar-se antecipadamente para os problemas que podem surgir e realizar as adequações necessárias são algumas das principais metodologias de nosso trabalho e, por funcionar em grande parte das vezes que indicamos que você procure fazer o mesmo em sua empresa.

Acredite, é muito mais fácil adaptar-se de antemão, do que fazê-lo enquanto um grande problema é enfrentado.

No processo de venda, o mesmo deve ser empregado. Em alguns momentos, o fato de um lead não ter se convertido pode ser associado também ao fato de objeções não terem sido trabalhadas no tempo adequado.

Gostou dessas indicações?

Em nosso blog você encontra diversas semanalmente para alinhar seu negócio de maneira mais eficiente.

Ficou com alguma dúvida?

Entre em contato com nosso time! 

Teremos um grande prazer em ajudar a fazer seu negócio decolar e encontrar as soluções de que precisa para isso. 

Veja também: 

Marketing de conteúdo e funil de vendas: Conheça a relevância da relação!

Jornada de Compra: Saiba o que é, como funciona e os seus benefícios para uma organização ao colocá-la em prática 

Instagram Business: Conheça atualizações que chegaram para auxiliar pequenos empreendedores

 

Marketing de conteúdo e funil de vendas: Conheça a relevância da relação!

Marketing de conteúdo e funil de vendas: Conheça a relevância da relação!

Muito além de informar, entreter e gerar novas ideias às pessoas, o marketing de conteúdo possibilita o direcionamento das mesmas ao tão almejado pelas empresas, fundo de funil, entre outras coisas, demonstrando a autoridade que possui nos assuntos que envolvem seu mercado. O que transforma interessados em leads e, posteriormente, os mesmos em clientes.

Trata-se de uma ferramenta imprescindível num processo eficaz de vendas e para conhecê-lo e saber como colocá-lo em prática, basta acompanhar as diretrizes a seguir:

A estratégia de marketing de conteúdo na prática!

Se você acompanhou nosso último post, sabe do que se trata o funil de vendas, além de sua enorme importância para a conversão de clientes em potencial.

Baseia-se, em resumo, em uma trajetória pela qual toda pessoa passou até o momento da compra, a qual conta com estratégias específicas em cada etapa dessa trajetória. Sendo elas:

Topo: Momento de atração;

Meio: Conversão do cliente em perspectiva;

Fundo de funil: A realização da venda!

Acompanhe a aplicação do marketing de conteúdo em cada uma delas:

Topo de funil 

Não é nenhum segredo que, quando falamos em marketing de conteúdo, uma das principais práticas a serem efetivadas é a criação e continuidade de postagens de conteúdos no blog de uma empresa.

Muitas já deram início a essa ferramenta de nutrição de leads, mas como atraí-los de maneira mais significativa?

Para iniciar, é importante ter em mente que esta pode ser a primeira impressão que grande parte dos seus clientes em potencial terão com sua marca, ou seja, através das informações que você oferecerá a eles.

Nesse ponto, é imprescindível que essas informações sejam interessantes e que, além disso, nesse estágio do funil de vendas, despertem a dor/necessidade ainda não identificada pelo público em questão.

Conteúdos interessantes, informativos e gerais, relacionados ao seu mercado de atuação podem e devem ser incluídos em sua estratégia.

As redes sociais devem ser um apoio para esses artigos! 

Por meio de publicações, por exemplo, é possível chamar a atenção de espectadores que, através de links, podem ser direcionados ao conteúdo completo em seu blog.

Meio

Após nutrir inicialmente esses usuários, é desejável que ele interaja com os conteúdos.

É momento de convertê-lo em um lead!

Os leads necessitam de material rico, isso significa:

E-books e infográficos, por exemplo, para que sejam ainda mais induzidos ao funil de vendas.

No entanto, é claro que o conteúdo só é entregue se o espectador reagir a algum tipo de publicação. Alguns exemplos são:

  • Assistir à um webinar (seminário online em vídeo, ao vivo ou gravado com interação da audiência via chat na maioria das oportunidades);
  • Responder a um formulário disponibilizado;
  • Responder a uma landing page. 

Nessa fase, os conteúdos precisam ser mais direcionados aos serviços e produtos que a empresa oferece. Como exemplificado em nosso artigo anterior com a loja e fábrica de estofados.

Fundo de funil 

Ao observar a interação do lead com sua marca, é possível entender que a sua estratégia tem sido bem sucedida. Porém, ainda falta a efetivação da venda. 

Não é?

Nesse ponto, estratégias direcionadas à essa etapa devem agir, é o caso, por exemplo, de ações de Google Ads e e-mail, para que o lead seja impactado e volte-se à intenção de compra.

Em relação aos conteúdos disponibilizados, é preciso tender-se àquilo que a empresa oferece, em um total foco para que uma ação seja estimulada e efetuada!

O marketing de conteúdo, por sua vez, é parte importantíssima de todos esses passos, tendo em mente que os artigos alimentam seus clientes em potencial e direciona-os ao passo seguinte desse processo.

Marketing de conteúdo aplicado ao pós-venda

Após conseguir uma venda, o ciclo do funil de vendas está completo e encerrado. Correto?

Errado!

Muitos acreditam nisso, e por consequência, deixam de trabalhar o pós-venda, imprescindível para que um cliente seja fidelizado, o que requer que esse mesmo continue sendo nutrido.

Nesse momento, é essencial que seu cliente sinta-se especial e contente por ter escolhido sua empresa em vez de seus concorrentes, fora não esquecer que você está ali, à disposição para outras oportunidades.

Para tal, faça uso das informações coletadas anteriormente para enviar materiais individualizados a seu cliente. 

Alguns exemplos são:

  • Lançamentos de produtos;
  • Cupons de desconto;
  • Ofertas exclusivas;
  • Newsletters, entre outros.

Isso pode ser feito por meio de e-mail marketing, aplicativo ou ferramenta indicada pelos responsáveis pela criação da sua estratégia.

Chegar ao tom de linguagem ideal em cada uma dessas etapas e conhecer de fato sua persona, também são aspectos que farão toda a diferença! 

Gostou das dicas?

Então não deixe de acompanhar muitas mais semanalmente e compartilhar esse importante conteúdo com seus conhecidos!

Veja também: 

Criação de conteúdo em novos tempos: saiba qual é a melhor estratégia a ser colocada em prática 

Empreendedorismo online: 6 dicas para começar acertando!

Instagram Business: Conheça as atualizações que chegaram para auxiliar pequenos empreendedores

Jornada de Compra: Saiba o que é, como funciona e os seus benefícios para uma organização ao colocá-la em prática 

Jornada de Compra: Saiba o que é, como funciona e os seus benefícios para uma organização ao colocá-la em prática 

Estratégias, campanhas e esforços, todos estão voltados a um mesmo propósito em grande parte das vezes. Trata-se da jornada de compras que leva um consumidor ao fundo de funil, ou seja, a resolução de seu problema e aquisição de um produto ou serviço de uma empresa. Entenda!:

Por mais que fora de um plano de ação estratégico pouco se fale sobre, grande parte das vendas baseiam-se em um processo que acontece antes de um produto ou serviço ser adquirido. 

Diferente do que se imagina, não se trata, ao menos em grande parte das vezes, de uma decisão imediata. 

Esse processo é intitulado por jornada de compra, também conhecido como jornada do consumidor.

Mas do que se trata a jornada do consumidor?

Em suma, a jornada de compra baseia-se em etapas que toda pessoa percorre antes de finalizar a aquisição de um produto, a qual tem um início, meio e o fim, quando a necessidade do mesmo é suprida por uma escolha.

No mercado digital

Em quaisquer mercados, principalmente no digital, que possui cada vez mais ofertas semelhantes, entender essa jornada e direcionar um lead à conclusão dela de forma eficiente faz toda a diferença para o faturamento e crescimento de uma marca ou mesmo seu insucesso.

 Por isso se dá a enorme importância em, além de conhecê-la, aplicá-la corretamente.

Quais são as etapas que contemplam o caminho da conversão de um lead?

No que permeia o marketing digital, por exemplo, essa jornada é conhecida por funil de vendas. Entre as etapas que a envolve temos:

Primeira: Atração

Nessa primeira etapa, o indivíduo assimila que possui um problemas ou uma necessidade.

Nesse momento, o papel das empresas deve ser focado em atrair esse lead em relação à descoberta e aprendizagem sobre o serviço ou produto que ofertam.

Segunda: Conversão

A segunda etapa do funil de vendas é baseada na conversão. Nesse ponto, o indivíduo entende de fato que não apenas possui um problema, como também precisa saná-lo.

Terceira: Relacionamento

No terceiro passo o consumidor já conhece sua marca e soluções ofertadas para o problema que ele possui e então considera adquirir, como solução, o que sua empresa está anunciando.

Com uma questão a ser sanada, uma resolução bem apresentada e a decisão por adquiri-la, somos direcionados ao quarto passo desse processo, a venda!

Quarta : Venda 

Seu lead já está decidido e então finaliza a compra, portanto tem sua necessidade sanada ou problema resolvido.

Por mais que à primeira vista possa se tratar de um percurso natural e simples, é importante entender que, cada uma dessas etapas exige estratégias específicas para que esse consumidor-alvo não desista de sua compra no meio do caminho ou opte por seu concorrente.

Como exemplo, no período de atração, podemos citar a importância de oferecer conteúdos de qualidade para esse cliente em perspectiva.

É o caso de blog e e-books, exemplificativamente, disponibilizados por sua empresa, com dicas relacionadas ao seu mercado, além de curiosidades e vantagens que esse cliente em potencial poderá vir a ter caso adquira o que você tem ofertado. 

Realizando a jornada de compra 

De maneira resumida é preciso que você identifique, de início, o que os seus clientes em potencial estão procurando.

É importante conhecer que tipos de análise eles têm feito antes de concluir uma compra.

Que tipo de comparações realizam?

Quais suas dores e problemas? 

Ao conhecer por completo as etapas do funil de vendas, desde o seu início, quando um cliente em potencial está pouco interessado em adquirir seu serviço ou produto (topo de funil), até quando ele está decidido em fechar negócio (fundo de funil), você será capaz de ser muito mais efetivo em sua comunicação.

Jornada de compra na prática

Digamos, por exemplo, que você possua lojas e uma fábrica própria de estofados e tenha o desejo de vender um número maior de peças.

No primeiro momento, sua estratégia e esforços deverão estar voltados ao público que encontra-se no topo do funil, isso significa aqueles que ainda não pensam ou desejam trocar de sofá no momento.

Nessa etapa, você deve concentrar-se em ofertar dicas de decoração, por exemplo, e ressaltar vantagens em se obter sofás para o conforto e comodidade da casa.

Na segunda etapa, quando o seu consumidor em potencial está no meio do funil, informações sobre os diferentes tipos de sofá podem ser mostradas.

É o caso, por exemplo, da distinção entre os que possuem função retrátil e reclinável ou não, que têm formato em L ou padrão.

Fora isso, você pode focar em decorações específicas de espaços que recebam bem esses dois modelos e fazê-lo com sofás que sua empresa disponibiliza.

Ao final, quando chegamos ao fundo de funil, seu cliente em perspectiva deve ter disponível em mãos todas as opções de estofados pelos quais mais se interessou e identificou, a característica específica de cada um deles e seus preços.

Jornada de Compra: Saiba o que é, como funciona e os benefícios para o seu negócio ao colocá-la em prática. Foto/Reprodução: Roberto Cortese - Unsplash
Ao trabalhar sua estratégia dentro da jornada de compra, você possibilita ir além de apenas focar nas pessoas que já estão prontas para adquirir um estofado e desejam fazê-lo de imediato ampliando seu campo de possibilidades, fora não perder essas pessoas. 

Dessa maneira, você garante ainda que uma parcela maior de clientes em potencial prepare-se para suprir uma necessidade que ainda não possuem e, para os que já se veem com ela, tenham sua marca em mente como referência de melhor opção, para que a venda aconteça! 

Para concluir, indicamos que você, nesse momento, fora a jornada completa de compras, trabalhe o Inbound Marketing, caso ainda não o faça reforçando a sua marca para que, independente do tempo para aquisição de um produto, você torne-se sempre o referencial.

Gostou dessas dicas?

Então não deixe de compartilhá-las com os amigos e familiares que já empreendem ou ainda pretendem fazê-lo em breve. 

Ficou com alguma dúvida a respeito desse assunto? Entre em contato conosco!

Veja também!:

Estratégia de lançamento: Você conhece a ferramenta que tem cada vez mais se popularizado no mercado digital?

Empreendedorismo online: 6 dicas para começar acertando!

Gestão de tempo: Conheça sua importância e dicas de como fazê-lo em seu ofício

Whatsapp