Marketing de Conteúdo: algumas tendências para 2020

Marketing de Conteúdo: algumas tendências para 2020

Nos últimos anos, diversas adaptações e novidades chegaram e foram aplicadas, dando espaço a novas maneiras de criar conteúdo. Em 2020, as tendências de marketing de conteúdo, mais uma vez, abrem as portas às novas perspectivas que já podem ser observadas.

Quer saber que tendências são essas? Então acompanhe nosso texto a seguir:

Algumas das principais tendências para o marketing de conteúdo neste ano já foram testadas e outras são completamente novas para o mercado, mas todas elas prometem conquistar produtores de conteúdo, empresas do ramo e clientes.

Conteúdo gerado pelo usuário

Um novo conceito surgiu para ajudar empresas a direcionar o marketing de conteúdo ao consumidor 4.0. 

Este consumidor é o reflexo dos meios que têm à sua disposição e, por isso, possui características bem específicas, que englobam um alto nível de exigência pelo fácil acesso à informação.

Esse perfil técnico descreve para quem as marcas devem direcionar seus produtos e ações de marketing. 

Elas procuram por marcas, produtos e atendimento de ponta e, além de tudo, que possam se identificar e ter uma relação de maior proximidade.

Como resultado disso, hoje não basta apenas vender um produto interessante ou oferecer serviços que possuam um grande diferencial. É essencial se relacionar com o público-alvo, utilizando as plataformas certas. 

Tendo isso em mente, é possível sair do ponto de partida para a prática. 

Por meio de campanhas, marcas estimulam o público a gerar esses conteúdos, que podem ser textos ou vídeos para que, posteriormente, possam ser utilizados em estratégias de marketing de conteúdo. 

Entre as principais vantagens que englobam a opção estão:

  • Aumento do engajamento;
  • Aumento de interação do público-alvo;
  • Maior identificação.

Além desses pontos, há ainda a vantagem econômica, sendo essa prática muitas vezes menos trabalhosa e mais barata, uma vez que os conteúdos são gerados pelo próprio público da empresa/marca.

A crescente dos vídeos na criação e distribuição de conteúdo

Ao pensar em marketing de conteúdo, a primeira coisa que vem a nossa mente são textos. Certo? 

Entretanto, por mais que esse formato ainda represente a principal e mais tradicional forma de criar conteúdo, os vídeos têm um grande poder de gerar alcance, além de chamar bastante atenção.

Existem diversas ferramentas online que podem ser incorporadas nessa etapa, até mesmo combinadas às estratégias de blog.

Nos últimos anos, cresceu muito o uso desse formato em estratégias de conteúdo.

Segundo o próprio Google, pesquisas recentes mostram que 80% dos consumidores alternam suas pesquisas básicas entre textos e vídeos antes de tomar uma decisão de compra.

Veja também: As mudanças na veiculação de anúncios políticos nas redes sociais 

Tendo esses dados em vista, é inegável a importância da utilização desse tipo de mídia em estratégias completas. 

O apelo visual que os vídeos têm é tão significativo, que fica fácil entender a constante crescente do consumo dessa ferramenta.

Para este e os próximos anos, marcas devem seguir apostando firme nessa estratégia, principalmente em conteúdos fundo de funil (etapa em que o consumidor já está pronto para a aquisição de um produto e/ou serviço).

Estratégias de voz e áudio

O mecanismo tomou conta das estratégias em 2019. E por mais que seu uso e aceitação tenham sido amplos, 2019 ainda representou um ano de testes e afirmação para o recurso.

A realidade atual indica um constante crescimento para esse tipo de mídia em 2020, especialmente quando citado no formato de podcasts. Apenas no Brasil, o consumo desta mídia teve um crescimento de 67%, segundo a Deezer.

Estratégias de voz e áudio prometem se intensificar ainda mais em 2020. Foto: daviles

A mesma pesquisa ainda apontou que 25% dos participantes consultados, afirmou passar mais de uma hora por dia escutando podcasts.

E mais: Saiba como aumentar sua conversão online neste ano! 

O aumento da receptividade da opção é de extrema importância para que exista exploração da plataforma como base para conteúdos de marcas que tenham esse público como alvo.

Através de conteúdos relevantes e direcionados, empresas podem agregar valor para quem escuta e, consequentemente, fortalecer sua marca e aumentar a lucratividade da empresa através da estratégia.

Menos superficialidade e mais qualidade!

Os resultados positivos que o marketing de conteúdo gera à empresas é também um fator convidativo para que haja o excesso.

Afinal, se funciona, por que não apostar intensamente nessa estratégia? 

Diversas empresas veem os benefícios da estratégia e passam a produzir muito conteúdo.

Em grande escala e pouca qualidade, os conteúdos apresentados são superficiais, e acabam não sanando as dúvidas e problemas dos consumidores em perspectiva.

Pouco a pouco, especialmente por conta dos algoritmos do Google que estão cada vez mais rigorosos, diversas empresas têm optado por diminuir o volume de conteúdo em prol da qualidade.

O público cada vez mais exigente, possui dúvidas e desejos específicos e quer encontrá-los em conteúdos com formato simples, objetivos e completos.

A partir disso, diversas marcas têm incluído em sua estratégia de marketing de conteúdo atender somente ao que é desejado. Com isso, tentam destrinchar ao máximo um tema.

Veja também!: Os benefícios da diversidade no ambiente de trabalho 

Gerar diversos conteúdos superficiais em cima de um tema não é mais interessante e efetivo. Por isso, uma das maiores tendências de marketing de conteúdo para 2020 é gerar apenas conteúdos aprofundados.

Com bom conteúdo em mãos, é possível trabalhar estratégias de ranqueamento e atração de leads para, posteriormente, levá-los aos seus contatos e empregar outras estratégias, como o e-mail marketing, por exemplo.

Está gostando dessas dicas? Saiba mais sobre o assunto em nosso próximo post e aproveite as grandes tendências de marketing de conteúdo para crescer em 2020!

Casa conectada: o futuro começa agora!

Casa conectada: o futuro começa agora!

Iniciativa acontece com a contribuição de grandes nomes como Ikea, Samsung, Signify entre outras.

Empresas renomadas como a Amazon, o Google e a Apple estão se unindo para desenvolver um padrão, em código aberto, para que seja viável desenvolver dispositivos tecnológicos para casas conectadas de forma prática e segura.

Já imaginou viver em uma casa totalmente conectada?

O grande objetivo do projeto, que tem por nome “Connected Home over IP” ou “Casa Conectada por IP” é garantir que qualquer dispositivo ou produto que seja adquirido para uma casa conectada, seja compatível com o assistente de voz e smartphone do proprietário.

Foto/Reprodução: Sistema controlado via smartphone da residente.Via: Viacheslav Iakobchuk – Adobe.

Ainda segundo um comunicado oficial realizado e divulgado pelas empresas responsáveis, o projeto deve, muito em breve, ter seu desenvolvimento simplificado, tanto a fabricantes, quanto à aquisição do produto.

Por hora, fazem parte do grupo de empresas que já produzem sistemas e produtos para casas conectadas:

  • Signify (das lâmpadas Philips Hue);
  • Samsung SmartThings;
  • Ikea.

A tecnologia de cada uma dessas empresas será empregada no novo padrão e, segundo informações das próprias, deve ter um rascunho inicial lançado com algumas especificações em meados do segundo semestre do próximo ano (2020).

Também de acordo com as empresas, protocolos de conexão utilizados hoje, tais como Bluetooth e Wi-Fi, serão o foco inicial. Além disso, os produtos que já estão no mercado atualmente poderão receber suporte para funcionamento.

Hoje, Google e Apple representam os principais fabricantes de sistemas operacionais para celulares, além de donas dos maiores assistentes de voz, bem como Siri, da Apple, e Assistente, do Google. A gigante Amazon também conta com essa ferramenta de assistente mobile, a Alexa.

Casas conectadas no Brasil

Em 2019, Google e Amazon anunciaram a vinda oficial de dispositivos com assistentes de voz para o Brasil. A Amazon lançou o Echo em outubro, enquanto que o Google trouxe ao país, no mês de novembro, o Nest Mini.

O que essa tecnologia promete oferecer a seus usuários? 

Além dos benefícios já citados, os sistemas para casas conectadas prometem controlar ações simples, como a abertura e fechamento de cortinas pela manhã ou quando os moradores saem de casa.

Foto/Reprodução: interface futurista do assistente inteligente de automação residencial. Via: Nico El Nino – Adobe.

O sistema ainda permitirá uma rotina e tarefas muito mais simplificadas, como o preparo de diversos alimentos ao mesmo tempo e o aviso ao usuário de quando estiverem prontos.

A lavagem das roupas também é informada quando finalizada e, muito em breve, o sistema também poderá reconhecer além da voz , presença e dispositivos do morador, a identificação de pessoas diferentes no ambiente, proporcionando maior controle e segurança ao usuário sobre sua residência.

Demais! Não é mesmo?

Se gostou dessas novidades e informações, não deixe de acompanhar nosso blog. Semanalmente as melhores dicas e tendências do mundo da tecnologia, publicidade e empreendedorismo para você! 

Whatsapp