VOLTAR PARA O BLOG

Apesar do que muitas pessoas conhecem e ainda acreditam, nem sempre é necessário estar à frente de uma empresa como CEO ou sócio/investidor para empreender.

Isso porque muitas vezes um empreendedor pode ocupar um cargo interno, como colaborador, o chamado empreendedor corporativo, aquele que coloca o intraempreendedorismo em prática. 

O intraempreendedorismo ou empreendedorismo corporativo é um assunto que tem se tornado cada dia mais forte, isso devido aos inúmeros benefícios que promove, tanto ao colaborador de forma individual, como de forma coletiva na instituição onde trabalha. 

Você sabia que pode ser um empreendedor dentro da empresa onde exerce sua função?

Entenda o que é o intraempreendedorismo

O conceito de intraempreendedorismo, também nominado como empreendedorismo corporativo, foi apresentado ainda em 1985 por Gifford Pinchot III, onde ele citou:

“Você não precisa deixar a empresa para tornar-se um empreendedor.”

Agora, analise, será que você está desenvolvendo a capacidade de pensar como um empreendedor na organização em que trabalha?

Preocupando-se e dedicando-se como o proprietário do negócio?

Apesar de aparentar ser um termo complexo e talvez incoerente, essa prática pode fazer todo o sentido a você, principalmente quando observada as empresas que já contam com funcionários que a aplicam.

Começando por sua acessibilidade, a qual pode ser iniciada por qualquer pessoa independente de seu cargo, para que sejam obtidos resultados excelentes.

A partir do momento em que o desejo de mudança em todas as hierarquias dentro de uma empresa tornam-se algo estratégico, o intraempreendedorismo entra em vigor!

Qualquer indivíduo com algumas características-chave podem ser enquadrados como empreendedor corporativo. 

Entre as características estão:

  • Profissionais com habilidades de trazer inovação e propostas para melhorias;
  • Pessoas que buscam constantemente pelo aprimoramento de processos internos e identificam frequentemente oportunidades.

E é aí que entram os intraempreendedores.

Ou seja, colaboradores que trabalham com a mesma visão empreendedora, mas no âmbito interno de organizações.

Veja também: a importância e dicas de como fazer uma eficiente gestão do tempo em seu ofício

Características do intraempreendedorismo

Entre as principais características que o intraempreendedorismo pode abranger estão:

A interdisciplinaridade

Geralmente, profissionais intraempreendedores são aqueles que não estão satisfeitos em executar apenas as atividades que lhe foram designadas quando iniciou na empresa.

Esse colaborador sempre irá buscar o melhor para a organização, isso inclui contribuir com o trabalho de outras pessoas, podendo englobar a parte operacional ou estratégica da empresa.

Em outros e mais avançados casos, em ambas as opções.

A motivação para o trabalho

O princípio do intraempreendedorismo está baseado, também, em ir além do que as condições, estrutura e ofício pedem e ofertam. Ou seja, estar motivado para mudanças.

E isso não é algo que necessita partir apenas de um gestor ou de um único funcionário, estamos citando o interesse de toda uma empresa em buscar por oportunidades de aprimoramento nos processos de trabalho.

E mais: Conheça 3 ferramentas que lhe ajudarão a ter maior sucesso com vendas internas

Proatividade

Para diagnosticar o que você pode melhorar como profissional e avaliar o que ainda falta para ser um intraempreendedor, é importante saber que não se deve, nesse caso, ser alguém que espera ser solicitado para solucionar questões ou receber feedbacks para buscar melhorar.

O intraempreendedor busca, por sua conta, identificar oportunidades e possíveis ameaças que permeiam a sua empresa, cargo e até mesmo  segmento, para implementar soluções e influenciar positivamente toda a organização.

Com isso, é possível que ele leve dicas para a administração da empresa, bem como para seus colegas de trabalho, incentivando o desenvolvimento profissional e pessoal de todos.

Ainda no que diz respeito a proatividade, intraempreendedores são facilmente reconhecidos pelo valor que dão à sua função e reconhecimento que tem por sua importância dentro de uma empresa. 

Bons e bem sucedidos empreendedores que também são gestores e estão à frente de uma organização são reconhecidos por seu pessoal pelas mesmas características. 

Geralmente, são os primeiros a chegar em sua empresa, os últimos a deixá-las e, mesmo quando estão fora dela, estão pensando em maneiras de melhorar profissionalmente, para agregar melhorias à ela, o que nos leva ao próximo quesito. 

Ter referencial

Apesar de serem importantes não é apenas do positivismo e observação que é feito um bom empreendedorismo corporativo. 

Tanto quanto essas características, é preciso ter referencial. Ou seja, estudos da área.

Para que o profissional articule o intraempreendedorismo adequadamente, ele necessita de referencial teórico para saber, de fato, como melhorar a sua empresa.

Isso ocorre também a partir da experiência, relato e estudos de especialistas no assunto.

Inovação

O intraempreendedorismo é, principalmente, um esforço para inovar de forma positiva, buscando por soluções que capacitem a organização, sem depender de processos convencionais ou grandes investimentos.

Isso significa que todas as características já citadas devem ser baseadas na realidade e contexto que a empresa já está inserida. 

É essencial  reconhecer quais são os talentos da equipe e como isso pode ser utilizado, para que os objetivos e sucesso da organização sejam alcançados.  

Benefícios para as instituições 

O intraempreendedorismo nas organizações possibilita o desenvolvimento de processos já existentes, além de encorajar a empresa e seu pessoal a tomar novos rumos e adotar inovadoras estratégias para o sucesso dentro do mercado atuante.
Hoje, essas características já são bastante visadas por empresas na contratação de funcionários, pois promovem grande diferença nos resultados trazidos às organizações.

Como consequência, são bastante valorizados pelas empresas onde atuam e é por isso que você só tem a ganhar adotando essa prática e incentivando outras pessoas de sua organização a fazê-lo também.

Empresas que possuem colaboradores desfocados e que não exercem o intraempreendedorismo, costumam ter frequentes problemas com os resultados de suas entregas, comunicação entre funcionários e falta de confiança. 

Se você já conta com funcionários que possuem o desejo de intraempreender, busque associar a sua empresa somente pessoas com as mesmas características, a fim de potencializar o seu negócio.

Em relação aos demais funcionários (que você já tem atualmente), o indicado é incentivá-los, sempre que possível, a tomarem as dores do empreendedorismo de forma indireta, contribuindo para que todos busquem melhorar em suas funções.

Dessa maneira, é possível desfrutar de constantes sugestões e troca de ideias, crescimento contínuo da organização, colaborativismo e, principalmente confiança, que contribui com o trabalho de todos.

E você, já conhecia e/ou praticava o intraempreendedorismo em sua função?

Compartilhe conosco! 

Whatsapp